domingo, março 16, 2014


 
   Uma relíquia da aventura do Desertas
 
 
Entre tanta foto que me passou pelas mãos(dezenas e dezenas), esta  que insiro abaixo, e que agora me foi trazida pelo Rui Bela, é das que mais aprecio .
 
Admito que muito poucos tenham tido acesso, a tão bom e significativo  documento do trabalho
da  ciclópica  tarefa, que foi a de trazer o «Desertas» para a Ria.
 
Ora esta  foto  que fixa a já completa execução da abertura do canal, permite ver a Ria a dois passos. E nesta os Moliceiros  vadios, na  faina de pentear a ria com os seus ancinhos ferrados na tamanca.
 
 
 
 
                                  
                                               Finalmente ...a Ria
 
 
Do lado de lá ,embora a preto, os campos da «galefenha dos caseiros». Pedaço de terra prometida,  já bem pontilhada  de paredes brancas, alapadas no prado que era já verdejante,viçoso.
A chegada à Ria  do «Desertas» parecia  ser o final do ciclópico trabalho. Mas ainda haveria  pela frente soberbo e pesado trabalho. O não saberem  que a Ria não tinha fundos suficientes para engolir o calado do «Desertas», ainda que vazio, causa-me perplexidade.(que raio de engenhocas?!)
Ainda bem ,porque por via desse desconhecimento, «nasceria» a necessidade de abrir, na Ria, o «Canal do Desertas». Canal que permitiu que aquela se mantivesse navegável, durante  mais de um século. Até à recente intervenção levada a cabo no Séc.XX.
 
Para os que quiserem conhecer a interessante «estória» do «Desertas», «estória» recheada de pressupostos e intrigas, e até bombardeamentos de um navio que, dizia-se, estaria carregado de armas(para uns), de volfrâmio(para outros),e afinal vazio, aconselho a leitura do livro :
 
 
 
 
                                       
.
                                                      «DESERTAS »na praia 
 
do  livro « Costa-Nova-do -Prado-200 Anos de História e Tradição» p 179 e seguintes. Ou o interessante trabalho em vídeo de Rui Bela.
 
 
 
 
                                                  
 
MAPA PERCURSO «DESERTAS»
 
 
 E a propósito: bem lá colocámos, naquele local, uma placa Comemorativa.
 
 Pensando que a CMI dela cuidasse.....
 
SF
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

sexta-feira, março 14, 2014





       Mapa da Villa de AVEIRO- 1696


  Mais vez vindo do espólio de RUI BELA, foi-me enviado este mapa.

  Muito embora já o conhecesse, e até já referido, e em parte descrito, nunca chegou às minhas mãos de um modo tão claro.




 
 
 
Verdadeira preciosidade:
 
          1- Podem-se apreciar as portas da Villa, numa época em que Aveiro, tinha já atingido notável desenvolvimento mercantil.
            2- Muito curiosa a Rua da Fonte-Nova, que ladeava as muralhas junto ao cana do Cojo; e neste o ilhote do Cojo.
            3-Perfeitamente identificável,o canal que virá a ser chamado dos Botirões, e a Rua de S.Gonçalo.
             4-  Também nítida, a Ribeira de Vilar.
 
              5- Notar que o canal Central tinha o nome de Canal das Azenhas ,e neste havia já o cais das barcas(mercantéis).
 
Enfim ,cada um pode obter o mapa, e  deixar, depois,  que a sua curiosidade por ele navegue.
 
 
No próximo Blog ,aparecerá nova  curiosidade, com a mesma proveniência.
 
 SF